Mitos e verdades sobre as placas de vídeo - PC GAMER

Placas de vídeo são componentes indispensáveis para aqueles que desejam ter um computador focado para jogos ou edição de imagens e vídeos. Responsável pelo processamento gráfico, essas peças acabam recebendo bastante atenção por parte de entusiastas da computação e isso acaba fazendo com que vários mitos e verdades sejam levadas como fatos por muitas pessoas. 
Pensando nisso, reunimos algumas das curiosidades mais comuns sobre placa de vídeo, sejam elas da NVIDIA ou AMD, para que você possa saber o que é verdade e o que não é.

Saiba se existe verdade por trás de algumas histórias sobre placas de vídeo (Foto: Divulgação/Saphire)Saiba se existe verdade por trás de algumas histórias sobre placas de vídeo (Foto: Divulgação/Saphire)
Quanto mais memória, mais rápida é a placa de vídeo
Existe uma noção de que quanto maior for a memória da placa de vídeo, mais rápido será o seu processamento. Essa informação não condiz muito com a realidade, vide que alguns modelos que contam com 4GB de memória VRAM podem apresentar um desempenho muito semelhante a outros com 2 GB de VRAM.
Isso acontece porque a memória de uma placa de vídeo é usada para alocar mais texturas e lidar com telas de resoluções maiores, como 4K. Se você não conta com um monitor com essa capacidade, ou até mesmo utiliza uma tela Full HD comum, não existe uma real necessidade de uma placa com mais de 2GB de VRAM.
A Radeon RX480 traz 4 GB de memória (Foto: Divulgação/AMD)
A Radeon RX480 traz 4 GB de memória (Foto: Divulgação/AMD)
O desempenho real da sua placa da vídeo será baseado no chip de processamento da sua placa, então, você deve ficar mais atento a esse tipo de informação na hora de adquirir uma nova peça do que nos altos número de memória.

A melhor placa de vídeo é aquela capaz de rodar os jogos com uma taxa altíssima de frames por segundo

Existe um público que decide comparar placas de vídeos pela resolução e taxa de frames por segundo que ela é capaz de gerar ao rodar algum game. Apesar de ser importante uma GPU capaz de manter uma taxa constante de frames por segundo, é necessário compreender que apenas a placa de vídeo não conseguirá apresentar a melhor experiência possível.

Isso é dito porque de nada adianta ter uma placa de vídeo com poder o suficiente para rodar jogos com uma taxa alta de FPS, mas com um monitor que não reproduz tudo com a mesma eficácia. De certa forma, as melhores placas de vídeo são mesmo as que conseguem entregar uma alta taxa de frames por segundo, confirmando esse “mito”, mas somente ela não é garantia de que você terá a melhor experiência visual do seu jogo.

Colocar placa de vídeo com defeito no forno pode trazê-la de volta


Há tempos, existe um mito na internet de que uma placa de vídeo defeituosa pode voltar a funcionar após colocá-la dentro de um forno e cozinhá-la dentro. A ideia, apesar de absurda, faz certo sentido se o problema da sua placa é ocasionado por solda fria, algo que possivelmente seria resolvido ao colocar o componente sob altas temperaturas.
O problema é que você pode resolver um problema e gerar outro pior. Porque, por mais que a alta temperatura acabe com a situação de solda fria, outros componentes dela não suportam tanto calor, podendo ser mais danificados no processo. Para piorar ainda mais a situação, ao realizar o teste com a sua placa “ressuscitada”, esse componentes podem entrar em curto e danificar outro dispositivo do seu PC, tornando a praticamente não recomendada de maneira alguma.

Quanto mais cara, melhor será a placa de vídeo

Isso é um ideia levada por muitos como lei na hora de comprar uma nova placa de vídeo e, apesar de ter um bom fundo de verdade, ainda não pode ser considerada como a verdade absoluta. Muitas vezes, vemos os grandes lançamentos do mercado, sejam eles da Nvidia ou AMD, com especificações incríveis e preços exorbitantes. Porém, na prática, algumas placas podem não ser a maravilha do seu anúncio.
A GTX 1080, da Nvidia, tem um preço bem salgado (Foto: Divulgação/Nvidia)
A GTX 1080, da Nvidia, tem um preço bem salgado (Foto: Divulgação/Nvidia)
Mesmo tendo um preço muito alto, alguns modelos acabam apresentando uma experiência inferior à proporcionada por placas mais baratas. Por isso, é muito importante não se basear pelo preço de uma placa de vídeo na hora de decidir qual é a melhor.

Realizar overclock na placa de vídeo sempre melhora a sua perfomance

A prática de overclock, seja de sua placa de vídeo ou processador, apesar de bem mais segura do que há anos atrás, ainda não é algo que apresenta resultados padronizados para todos. Um overclock feito em uma placa de vídeo por um usuário pode entregar um desempenho bem diferente do que um feito por outro.
Realizar o overclock na placa de vídeo nem sempre traz resultados satisfatórios (Foto: Divulgação/Asus)Realizar o overclock na placa de vídeo nem sempre traz resultados satisfatórios (Foto: Divulgação/Asus)
Tendo isso em mente, a ideia de realizar overclock em sua placa de vídeo pode acabar entregando um desempenho até pior do que o alcançado anteriormente sem realizar essa prática. Testes realizados com diferentes modelos sob as mesmas condições mostraram que apenas 1/3 das placas teve uma leve melhora, enquanto 1/3 continuou a mesma coisa, mas correndo o risco de danificar componentes, e outro 1/3 piorou.
Por isso, a ideia de que o overclock, independente do risco, sempre vai melhorar a performance da sua placa de vídeo não é real.

Fonte: TechTudo

Postar um comentário